sexta-feira, 6 de julho de 2018

e-Social - Mais uma burocracia eletrônica


Rosangela Tavares, José Maria Chapina Alcazar, João Bico de Souza, Luis
Carlos Ferreira Eiras e Francisco Peroni

Com o falso argumento de simplificação, o governo instituiu o Decreto nº 8373/2014 (Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas – eSocial). Por meio dessa plataforma, os empregadores passarão a comunicar a união, de forma unificada, as informações relativas aos trabalhadores, como vínculos, contribuições previdenciárias, folha de pagamento, comunicações de acidente de trabalho, avisto prévio, escriturações fiscais e informações sobre o FGTS.

A Distrital Norte e o Conselho do Setor de Serviços da Associação Comercial de São Paulo realizaram palestra sobre o eSocial, nesta quinta-feira (05/07), com a apresentação dos especialistas José Maria Chapina Alcazar, Francisco Peroni e Rosangela Tavares.


Chapina disse que com tantas dificuldades, o tiro pode sair pela culatra. A ânsia
da arrecadação pode se tonar o caminho para a informalidade


Para Chapina, aquilo que deveria facilitar o trabalho de contadores e empresários, se tornou mais uma burocracia eletrônica. “Até as grandes empresas estão com dificuldades para conseguir o software de implantação do eSocial. É o golpe da simplificação. Por que as empresas deverão arcar com os custos desse programa que é de interesse do governo? ”, indagou. 

Chapina é vice-presidente da ACSP, coordenador geral do conselho de Serviços e informou que a Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (FACESP), juntamente com outras entidades, solicitaram a prorrogação do início eSocial para o pequeno empreendedor, inclusive a possibilidade de se conseguir o programa gratuitamente.


Empresários acompanharam a palestra


As grandes empresas já estão alimentando o sistema deste janeiro. A partir desse mês de julho, o eSocial tornou-se obrigatório para os empreendimentos dos demais portes. A gerente da Seteco Contabilidade, Rosangela Tavares, disse que o sistema do eSocial irá mostrar de forma clara a relação entre as empresas e seus colaboradores. “O empresário deverá estar atento aos prazos de envio das informações, que deverão ser cumpridos à risca, e qualquer atraso será passível de autuação”, alertou. 

Para o administrador e contabilista Francisco Peroni, os pequenos empreendedores precisam notar os detalhes do eSocial e quebrar um paradigma que ainda existe em algumas empresas. “A organização e disciplina deverão imperar nesse novo sistema”, observou.

Diretores da ACSP-Distrital Norte prestigiaram a palestra: Antonio Carlos Stefano,
Amir Massis, Chapina, Rosangela, Luis Eiras, Francisco Giannoccaro e George
Abraham Ayoub

Chapina admitiu que maus profissionais contadores não irão sobreviver a essa nova realidade. “O empresário deverá olhar para seu contador, como olha para seu médico”, disse. Para ele, as dificuldades do eSocial, e se nada mudar esse panorama, será um caminho para a informalidade.

O encontro foi presidido por João Bico de Souza, vice-presidente da FACESP e ACSP e Luis Carlos Ferreira Eiras, diretor-superintendente da ACSP-Distrital Norte. 


quarta-feira, 4 de julho de 2018

Homenagem aos heróis do presente e do passado


da esquerda para direita: João Bico de Souza, vice-presidente da FACESP e ACSP,
maestro João Carlos Martins e Francisco Giannoccaro, vice-presidente ACSP.

A Associação Comercial de São Paulo, por iniciativa do Conselho Cívico e Cultural, realizou na noite de ontem (03/07) na Câmara Municipal de São Paulo, a entrega do colar Carlos de Souza Nazareth. A cerimônia foi presidida por João Bico de Souza, vice-presidente da FACESP e ACSP, que durante o ato representou o presidente Alencar Burti. 

Os homenageados foram cumprimentados pelas autoridades presentes.

Os homenageados foram: embaixador Rubens Ricupero, maestro João Carlos Martins, Fundação Cásper Líbero e Estância Climática de Cunha. No inicio da solenidade, o corpo musical da Polícia Militar entoou o Hino Nacional Brasileiro. O colar Carlos de Souza Nazareth nasceu na gestão do coordenador geral do Conselho Cívico, Francisco Giannoccaro. 

Colar

Homenagem ao maestro João Carlos Martins 

O colar Carlos de Souza Nazareth - Foi criado em memoria do Movimento  Constitucionalista de 1932, para homenagear pessoas e instituições que, pelos seus relevantes serviços prestados à sociedade, tornaram-se dignas de público reconhecimento. Simboliza a luta pela liberdade e pela construção de um futuro justo, o colar carrega o nome de Carlos de Souza Nazareth, presidente da Associação Comercial de São Paulo durante a eclosão da Revolução Constitucionalista de 1932, a qual marcou os esforços paulista em busca de uma nova Constituição para o país e maior abertura democrática. O colar foi oficializado pelo Governo do Estado de São Paulo, pelo Decreto 48.033, de 19 de agosto de 2003. 

Entre as autoridades presentes: general de Exército Adalmir Manoel Domingos, coronel Mario Ventura, Rolien Guarda Garcia, prefeito de Cunha, Luiz Alberto Pereira da Silva(ACSP-Distrital Centro), Osmar Pereira Machado Junior(ACSP-Distrital Centro-Sul) e Ricardo Granja, prefeito regional do Butantã. 





terça-feira, 19 de junho de 2018

Startup – O mundo onde poucos prosperam





André Oliveira - Gestor de Tecnologia do SEBRAE/SP

O Fórum dos Jovens Empreendedores da Distrital Norte da Associação Comercial de São Paulo e o SEBRAE Capital Norte apresentaram no dia 14 de junho, o universo concorrido das startups. “Não é difícil encontrar alguém que tenha uma grande ideia. O complicado é pegar essa ideia e colocar no papel”, foi o que afirmou André Leonardo de Oliveira, gestor do segmento de Tecnologia do SEBRAE.

Para o consultor, ser um unicórnio (àquelas startups com uma avaliação igual ou acima de um bilhão de dólares) é fruto de muito trabalho, estudo, pesquisa, tecnologia e persistência.  “As mais bem-sucedidas startups surgiram da real necessidade das pessoas. Algumas delas: Uber, Airbnb, Dropbox, Snapchat e as brasileiras 99 Táxi e PagSeguro”, observou.


Tarek Jihad Mourad - coordenador do Fórum dos Jovens Empreendedores
da ACSP-Distrital Norte e André Oliveira 

O que é uma Startup? O termo surgiu nos Estados Unidos para designar um novo modelo de negócios, geralmente com custos de manutenção baixos e com perspectivas de crescimento rápido. Aqui no Brasil, muitas ideias surgem na base do desespero (um modo de ter uma renda) e não por oportunidade.  As fases de uma startup são: ideia, validação, time, sócios, modelo, métricas, execução, planejamento, cultura e crescimento. O especialista orienta sobre a necessidade de ter uma boa rede de relacionamentos e uma equipe bastante alinhada e consciente de suas atribuições. “As principais causas do fracasso das startups são: as pessoas envolvidas não ter perfil empreendedor, ego e falta de empatia com os participantes do projeto, não validar a iniciativa e falta de timing”.

O sucesso das startups é para poucos - observou André Oliveira 


Levantamento da pesquisa GEM (Global Entrepreneurship Monitor) aponta que 4 em cada 10 brasileiros possuem ou estão envolvidos em criação de novas empresas, o país tem 52 milhões de empreendedores e 58% dos universitários pensam em empreender. A grande maioria das startups tem um lucro médio na casa dos 5 mil reais e 74% morrem em cinco anos.

terça-feira, 12 de junho de 2018

Trump e Kim encontro de paz?



Kim e Trump

O dia 12 de junho de 2018 já entrou para a história. Foi nesta data que Donald Trump e Kim Jong Un se encontraram em Singapura para celebrar a paz. Essa é a primeira vez que um presidente americano, no exercício do mandato, se encontra com um ditador norte-coreano. 

É necessário aguardar e observar se realmente a "paz" está na essência deste encontro, ou tudo não passa de jogo de cena. Os supostos objetivos colocados na mesa de negociação tem de um lado Trump, que foi tentar convencer o líder norte-coreano de encerrar seu programa de armamentos (mísseis) nucleares, e do outro Kim, na busca de mostrar ao mundo seu lado menos cruel e persuadir o americano a por fim as restrições econômicas que afetam seu país. 

No âmbito de conquista pessoal, o ditador Kim já sai vitorioso. Conseguiu um encontro com a maior potência do mundo, feito que até o momento (desde a posse de Trump) nenhum outro líder conseguiu.  

foto: Wall Street Journal 















terça-feira, 29 de maio de 2018

Terceirização é um bom negócio

Livio Giosa é o maior especialista sobre Terceirização do país 


A Distrital Norte da Associação Comercial de São Paulo recebeu Lívio Giosa, presidente da Associação dos Dirigentes de Vendas e Marketing do Brasil (ADVB), na quinta-feira (24/05), para falar sobre Terceirização. Giosa é o maior especialista do assunto no país, inclusive foi o responsável por inserir o tema no Brasil.

O perito esclareceu que a terceirização é um instrumento de gestão que pode se implementada por organizações públicas e privadas. "Trata-se de um processo estratégico pelo qual podem ser repassadas determinadas atividades para terceiros, com os quais se estabelece uma relação de parceria, podendo ficar ou não a empresa concentrada apenas em tarefas essencialmente ligadas ao negócio em que atua", disse Giosa. 

da esquerda para a direita: José Maria Chapina Alcazar, Luis Carlos Ferreira Eiras,
João Bico de Souza, Lívio Giosa e Amir Massis


O setor de serviços é o que mais emprega no Brasil. Representa 78% do PIB nacional e 73% do Produto Interno Bruto, de São Paulo. São argumentos para implantação da terceirização: qualidade, preço, prazo e inovações tecnológicas. Já os recursos necessários são: metodologia, uso de materiais diversos, aporte de equipamentos e tecnologia, recursos financeiros e capital humano. "Cada caso é um caso e deve ser muito bem analisado pelo empresário, antes de implementar a terceirização", ponderou. 

Giosa afirmou que enquanto no âmbito privado se privilegia a qualidade dos serviços, na contratação pública impera o menor preço. "Nem sempre o menor preço é um bom negócio. Às vezes o governo contrata uma empresa com serviços bem baratos. Ela tem pouca estrutura e não realiza um bom trabalho. Aí o governo deixa de pagar um mês, dois meses, três  meses. Essa empresa acaba falindo, demite seus funcionários e o poder público precisa efetuar nova contratação".  

Empresários, diretores e conselheiros da Distrital Norte acompanharam a palestra


O consultor afirmou que o Brasil é o único país que possui uma lei especifica para tratar desse assunto e que o grande entrave da terceirização é a lei trabalhista. "Não há limites para a terceirização. A recente Lei nº 13.429/2017 deu segurança jurídica ao processo, inclusive impactou favoravelmente aos trabalhadores do setor. Assegurou direitos e até expandiu, como foi na questão do trabalho intermitente e teletrabalho", explicou. 

Para os empresários que trabalham com terceirização no âmbito público, a contratação via pregão eletrônico e o modelo pela Lei 8.666 tem sido um desafio. Essa lei foi bastante modificada desde sua edição, sem falar nos inúmeros dispositivos que fazem referência a outros instrumentos, o que faz dessa norma algo quase  incompreensível.

Livio Giosa foi bastante elogiado pela sua apresentação 

O especialista ressaltou que a modernização dos métodos de gestão é um desafio para atingir maior competitividade e retomar o desenvolvimento econômico e social. "A terceirização é uma prática consagrada e definida como modelo e instrumento de aperfeiçoamento dos métodos administrativos nas organizações", finalizou. 


Lançamento do livro de Lívio Giosa


O encontro foi presidido por João Bico de Souza, vice-presidente da FACESP e ACSP e Luis Carlos Ferreira Eiras, diretor-superintendente. Prestigiaram o encontro o vice-presidente da ACSP, José Maria Chapina Alcazar e o coordenador adjunto da Distrital Norte, Amir Massis. O diretor vice-superintendente Antonio Carlos Stefano realizou os trabalhos de mestre de cerimônia. 






quarta-feira, 23 de maio de 2018

Imirim completa 185 anos

Mesa dos trabalhos: Brás Pereira, Renata Abreu, Claudinho de Souza e
Rosmary Corrêa 


O Colégio Piaget foi o palco das comemorações dos 185 anos do bairro do Imirim. Uma sessão solene da Câmara Municipal de São Paulo, nesta segunda-feira (21/05),  presidida pelo vereador Claudinho de Souza, foi o ponto alto da celebração. 

Grande público participou 

Heliodoro Sá recebe sua homenagem ao lado de sua netinha Mariana

Jorge Luiz da Costa é agraciado por Claudinho de Souza e Brás Pereira

Diversas personalidades do bairro foram homenageadas. Membros da Distrital Norte da Associação Comercial de São Paulo foram reconhecidos por suas atividades na região: Heliodoro Pereira de Sá e Jorge Luiz da Costa. O ídolo do Corinthians, José Roberto Basílio, o Basílio - Pé de Anjo, também foi condecorado. 

Brás Pereira o grande idealizador do evento

Basílio - Pé de Anjo - recebe sua homenagem 

Antonio Carlos Chiaretto foi levar seu abraço aos amigos Heliodoro
e Jorge Costa. Daniela Antão é filha de Jorge Costa. 

Leandro Gimenez foi um dos organizadores da cerimônia


A iniciativa e organização do evento é do diretor do jornal São Paulo de Fato, Brás Pereira. 

Grupo Bombeiro Caetano foi homenageado

As crianças do Grupo Grão de Areia


Entre as autoridades presentes: Renata Abreu, deputada federal,  Rosmary Corrêa, prefeita Regional de Santana/Tucuruvi e Roberto Arantes Caetano (Bombeiro Caetano). 

Fotos: Jornal São Paulo de Fato

segunda-feira, 14 de maio de 2018

Turismo - Um mundo de oportunidades

Camila Patricio - Gestora de Eventos do SEBRAE/SP



O Fórum dos Jovens Empreendedores da Distrital Norte da Associação Comercial de São Paulo e o SEBRAE Capital Norte realizaram no dia 10 de maio palestra que expôs as oportunidades de negócios diante do segmento de Turismo.


Para Camila Patricio, gestora de eventos do SEBRAE, existe um vasto campo inexplorado nessa área e o empreendedor tem perdido dinheiro. “O Turismo está ligado diretamente ao conceito de mercado e relacionado a lógica da demanda e oferta. O chamado 4 Ps: produtos, preço, praça e promoção”, orientou.

da esquerda para direita: Rubens Heredia, presidente do Museu 14 Bis, Adir
Vergilio, coordenador Conselho Cívico e Cultural ACSP-Distrital Norte, Tarek
Mourad, coordenador FJE-Distrital Norte, Camila Patricio, Garabed Pilavjian,
conselheiro ACSP-Distrital Norte


A cidade de São Paulo conta com 410 hotéis, 42 mil apartamentos disponíveis em hotéis e 72 hostels. Segundo dados da SPTURIS, São Paulo movimentou 14,9 milhões de turistas, destes, 2,5 estrangeiros e o montante arrecadado foi de 11,4 bilhões de reais. Em média o turista nacional permanece em São Paulo por três dias e gasta aproximadamente R$180(dia). Já o estrangeiro fica na cidade quatro dias e tem um gasto de R$484. A maior concentração de hospedagem fica localizada no centro da cidade. (SPTURIS – 2016).

participantes do encontro 


A especialista afirmou que os turistas têm valorizado muito experiências autênticas. “O empresário deve ficar atento para o atendimento a nichos específicos da demanda como: famílias, terceira idade, escolares, casais sem filho, executivos, aventureiros, LGBT e outros. Aspectos locais e regionais são bastante admirados pelos viajantes”, explicou Camila.



A Serra da Cantareira é um dos locais com grande potencial turístico na Zona Norte e é pouco explorada, segundo a gestora do SEBRAE. O encontro foi dirigido por Tarek Mourad, coordenador do FJE-Distrital Norte. 

Google+ Badge